sexta-feira, 9 de março de 2012

O que aprendi sobre a gestão Lean Six Sigma - Parte 5

Ainda falando da minha experiência. Sou uma apaixonada pela metodologia.
13. Identificar Todas as Economias: um importante elemento do Lean Six Sigma consiste em quantificar economias de quantidades complexas. A relativa facilidade e rapidez com que as economias em dinheiro são quantificadas é o motivo de muitas empresas concentrarem os projetos iniciais na área de manufatura. Como quantificar? Precisamos conhecer as melhores práticas.


Fonte: http://xrysalisds.com/
Fonte: http://www.cimba.it/
Lição 14. Personalizar os métodos conforme as necessidades da empresa: os conceitos básicos do Lean Six Sigma se aplicam diretamente a todas as operações; porém, algumas ferramentas específicas podem ter uma importância relativa, variando de uma operação para outra e de uma empresa para outra. Devemos considerar as necessidades e a capabilidade dos processos, e aumentando a caixa de ferramentas conforme a melhoria alcançada.

Fonte:http://www.processexcellencenetwork.com/process-improvement-case-studies/articles/how-lean-six-sigma-helped-pharmaceutical-packaging/
 Começamos com as ferramentas básicas e, conforme a capabilidade dos processos aumenta, vamos implementando ferramentas sofisticadas. Em negócios onde a capabilidade ainda não chegou em 3 Sigma, podemos utilizar o Excell como ferramenta gráfica para a maior parte dos usuários, e caminhar para ferramentas mais sofisticadas conforme o nível Sigma vai aumentando.
 Lição 15. Considerar a variação e a média: com o amadurecimento do Lean Six Sigma, tem havido um maior reconhecimento da importância de se reduzir a variação, além da tradicional meta de melhoria da média. A frase "A variação é a causa de todos os males" se tornou um slogan do Seis Sigma. Uma típica aplicação seria reduzir a variação do tempo entre a efetivação de um pedido e a entrega do produto ou serviço.


Fonte: http://www.sixsigmainstitute.com
16. Dados corretos, uma questão de planejamento: eis um slogan do Seis Sigma: "Em Deus nós confiamos, os outros trazem dados". Infelizmente, os dados disponíveis, mesmo que sejam muitas vezes, volumosos, são geralmente insuficientes para a tarefa que temos em mãos. Isso ocorre porque os dados foram obtidos por outras razões além da análise, como, por exemplo, para atender a requisitos contábeis. Os dados disponíveis podem servir para nos ajudar a decidir quais das informações adicionais serão mais úteis. Geralmente, uma amostra selecionada cuidadosamente é o suficiente. Isso ocorre porque é a qualidade, e não a quantidade, dos dados que conta.
Iniciamos as análises com dados históricos, e depois, fazemos experimentos para melhor entender as varições, correlações e ruídos. A capabilidade na fase inicial do projeto é medida com dados históricos.




Estamos quase no final dessa jornada das lições aprendidas, até semana que vem.



Nenhum comentário:

Postar um comentário