sábado, 9 de junho de 2012

Dia dos Namorados - uma análise Seis Sigma do Amor


Tradução e adaptação do texto “A Six Sigma Analysis of Love” de Rod Hill.



Se o amor é um processo, para poder melhora-lo é necessário conhecê-lo.

A primeira coisa que nos perguntamos quando queremos descrever um processo é “o que esse processo nos oferece?”.

Para fazer isso, normalmente descrevemos o valor desse processo nas dimensões do apropriado, do correto, do econômico e da oportunidade.

Achamos simplesmente “lógico” definir indicadores de qualidade e incluímos indicadores de processo que queremos melhorar para cada uma dessas dimensões.

Ao analisar a interação entre duas pessoas (somente com um olhar de ‘especialista de processo’), vemos que relacionamentos tem dimensão física, mental, emocional e espiritual.
Sei que é difícil desenvolver um conjunto simples de indicadores de qualidades e processo para entender como cada uma dessas dimensões participa de um bom processo (neste caso, de um bom relacionamento).

Todos nós fazemos isso com nossos corações, mas quase nunca focamos as nossas mentes para entender o que está acontecendo. Acabamos de colher as respostas emocionais para o relacionamento.

Como o Dr. Phil diria, (Phil McGraw é um psicólogo dos Estados Unidos da América que tornou-se conhecido do grande público ao participar nos programas da Oprah Winfrey como consultor de comportamento e relações humanas) se quisermos melhorar a nossa relação, ela deve tornar-se um projeto de alta prioridade, suficientemente capaz de ser colocado à frente de outras coisas que competem pela nossa atenção.

Por que estamos trabalhando neste projeto neste momento? A ruptura ou o divórcio pode ser iminente. Um casal pode apenas querer "mais" da relação. Projetos de melhoria de processo vitoriosos requerem um defeito claramente definido, além de um campeão motivado.

A construção de um relacionamento exige uma avaliação honesta da verdade sobre a relação e uma vontade de abordar as coisas que precisam ser alteradas. Isso soa como uma definição de defeito e um campeão motivado para mim.

E ai entra a metodologia do Seis Sigma para nos ajudar a entender e descrever esse relacionamento, a ferramenta SIPOC.

Todas as relações podem ser descritas, num nível inicial, com um simples gráfico SIPOC. 
Os fornecedores são as partes envolvidas na relação. Cada parte participa das entradas (inputs).

Cada um traz as entradas do triângulo valioso de “valores e atitudes”, juntamente com os paradigmas de “sucesso” e temperado pelas “recompensas percebidas e oportunidades de reconhecimento”. O processo essencial é a execução de operações envolvendo e afetando as partes envolvidas.

As saídas do processo são três tipos de experiências de episódios: positivo, negativo e neutro.Os clientes do processo são as próprias partes e a sociedade em torno deles.

Definição de um defeito no processo poderia ser uma de duas condições: 1) Quando ocorre uma experiência negativa ou 2) Quando qualquer uma experiência negativa ou neutra ocorre.

É bastante claro que as experiências positivas são os resultados desejados que transformam os relacionamentos e o fazem crescer e prosperar.

Vamos desenhar o SIPOC? 

Suppliers
Inputs
Process
Outputs
Customers
Eu
Valores


Boas
Experiências
Você
Você
Atitudes

Transações
Experiências neutras
Eu

Paradigmas de
Sucesso
Emocionais entre
Experiências
ruins


Oportunidades
de recompensa
Eu e você



Oportunidades
reconhecidas




Ter um gráfico SIPOC ajuda os times de melhoria contínua a manterem seus trabalhos no foco e também ajudam a desenvolver o escopo de um projeto.

É necessário para um casal desenvolver um SIPOC para melhorar o seu relacionamento?

Não! Mas dói alguma coisa?

Provavelmente, também um "não".

Para a maioria dos projetos de melhoria, o sucesso ou o fracasso é remetido direito à fase “Definir”, onde o escopo é descrito.

Entender o que está incluído / excluído do nosso foco nos ajuda a encontrar o que pode e deve ser mudado, e nos ajuda a afastar das coisas que não podem ser alteradas.

A melhoria de sucesso de uma relação quase sempre traz benefícios financeiros e não financeiros. Saber quais são os benefícios potenciais para melhorar o relacionamento pode ajudar a motivar ambas as partes a encontrar maneiras de fazer este trabalho.

Um amigo usou essa ferramenta para facilitar uma conversa com a sua esposa sobre um indivíduo que estava tendo um impacto negativo nas suas relações familiares. Decidiram encerrar o relacionamento com este indivíduo quando entenderam o impacto que ele tinha nas vidas deles.

A compreensão de quem está envolvido e como está afetando o processo e o projeto vai ajudar a orientar nossas ações.

E, finalmente, há uma necessidade de se criar um cronograma de como você vai prosseguir este projeto para melhorar seu relacionamento.

Uma vez que a melhoria do processo funciona para clientes vencedores, por que não funcionaria para a melhoria das relações pessoais?

Então o cronograma, na minha sugestão, deve refletir a urgência da necessidade, bem como a capacidade do casal para trabalhar no relacionamento.

Normalmente olhamos nossas vidas pessoais como uma “coisa” a parte do nosso aprendizado profissional... mas será que ela não melhora se a entendermos como processos e como processos capazes de serem melhorados?

Feliz dia dos namorados!!!

Nenhum comentário:

Postar um comentário